VEJA AS NOVIDADES

9 de outubro de 2013

Paraíba mobiliza trem regional Costa do Sol, que vai interligar Nordeste.

O Trem Costa do Sol, projeto que vai interligar o Nordeste, partindo de Salvador (BA) a São Luís (MA), vai começar a tomar forma na próxima sexta-feira, com a assinatura do acordo de cooperação entre a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Conforme o superintendente da entidade, Luiz Gonzaga Paes Landim, o projeto deve começar a ser executado pelo trecho de João Pessoa ao Recife, que deve ser o mais dinâmico. A assinatura do convênio será feita durante o II Fórum Nordeste 2030: Visão Estratégica de Longo Prazo, que objetiva definir soluções para diminuir as desigualdades da região perante o País e fortalecer a indústria nordestina.

Luiz Gonzaga afirmou que a execução do projeto depende dos estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental, e que será uma parceria público-privada, para garantir a agilidade de seu desenvolvimento. Segundo ele, o trem fará o percurso de Salvador a São Luís, mas, inicialmente, a atenção será para as áreas mais dinâmicas.

“Destacamos Salvador e Costa do Sauípe, na Bahia, Recife e Porto de Galinhas, em Pernambuco, Natal e Pipa, no Rio Grande do Norte, e Fortaleza e Canoa Quebrada, no Ceará, mas a Paraíba tem destaque porque o trecho de João Pessoa ao Recife é o mais dinâmico. Com o trem em funcionamento, vamos garantir o fluxo de pessoas e de riquezas entre as cidades, que, em alguns anos estarão unidas como um conglomerado”, explicou o superintendente da Sudene.

Ele afirma que o Trem Costa do Sol será uma opção para a mobilidade, no que se refere ao turismo, considerando que o Nordeste não tem uma malha aérea dinâmica, além de desafogar as rodovias. “O acesso ao Aeroporto Internacional de Jaboatão dos Guararapes estará facilitado, sendo a rota de trem bem mais viável do que pela rodovia”.

Indústria do NE deve ser recuperada

O II Fórum Nordeste 2030 vai acontecer na próxima sexta-feira, no Hotel Cabo Branco Atlântico, em João Pessoa, promovido pela Sudene, em parceria com o Governo da Paraíba e Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae). O evento será aberto pelo governador Ricardo Coutinho e vai contar com as presenças do presidente do Banco do Nordeste, Ary Joel Lanzarin; do superintendente da Sudene, Luiz Gonzaga Paes Landim; do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes; do presidente do Inae, João Paulo dos Reis Velloso; entre outras autoridades.

O secretário de Estado do Planejamento e Gestão, Gustavo Nogueira, destacou a importância do evento. “Serão discutidos os problemas do Nordeste, com vistas a encontrar caminhos, definir objetivos e estratégias de ação, para que possamos vislumbrar um novo estágio de crescimento econômico e de melhoria da qualidade de vida da população”, avaliou o secretário.

Luiz Gonzaga ressaltou que é preciso recuperar a indústria nordestina, que foi bastante produtiva nas décadas de 1960 a 1980, mas que perdeu fôlego. “Nossa economia não pode ser baseada no consumo de bens e serviços produzidos em outros estados, em outras regiões. Por exemplo, sai um caminhão de artigos agrícolas daqui para o Sudeste e chega um carregado de eletroeletrônicos com alto valor agregado”, exemplificou.

Ele disse que há um déficit muito grande na economia paraibana no que se refere à entrada e saída de bens. Segundo o superintendente da Sudene, em 2011, a Paraíba produziu R$ 9 bilhões em bens, mas importou muito mais, o que acarretou um déficit de R$ 6,6 bilhões. No ano seguinte a produção cresceu a R$ 12 bilhões e o déficit, a R$ 9,6 bilhões.

Microempresa

O desenvolvimento das micro e pequenas empresas também estão entre os objetivos da Sudene. “Estas empresas são a cara do Nordeste e precisam ter reforço, se fortalecerem, investirem em tecnologia e inovação para estarem inseridas na economia nacional e internacional”, frisou o dirigente da Sudene. Segundo ele, atualmente, as micro e pequenas empresas do Nordeste só representam 6% das exportações do País.

Programação

A programação vai ser aberta às 8h30, com a palestra Nordeste 2030: Perspectivas para o Desenvolvimento, ministrada por João Paulo dos Reis Velloso, presidente do Inae. Na sequência, o ministro do STF, Gilmar Mendes, profere a palestra O Nordeste e um Novo Pacto Federativo. Às 10h45, acontece a palestra Mercodeste: um Mercado Comum para o Nordeste, ministrada por José Queiroz de Oliveira, da ANTT, especialista em Marketing e Planejamento Estratégico.

Durante a tarde, os trabalhos começam com o tema ‘Nordeste Molhado: A Amazônia Azul e o Desenvolvimento do Nordeste’, abordado pelo contra-almirante Marcos Silva Rodrigues. O professor Waldir Duarte Costa, da Associação Brasileira de Águas Subterrânea, vai apresentar o tema Água Subterrânea: suporte para uma revolução agrícola no Nordeste. Na sequência, a presidente do Conselho do Centro Celso Furtado, Rosa Feire d’Aguiar, apresentará o tema Desenvolvimento e Cultural.

Fonte: Correio da Paraíba