VEJA AS NOVIDADES

4 de dezembro de 2013

Aplicação de reajuste de combustível não será automática, diz Petrobras.

Imagem: Jalopnik
A aplicação de reajustes aos preços de combustíveis não será automática como resultado de fórmula de precificação, disse a Petrobras em um comunicado nesta quarta-feira (4).

O comunicado foi enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em resposta ao pedido de esclarecimentos do órgão sobre os parâmetros da política de preços divulgada no dia 29 de novembro de 2013 em relação àqueles divulgados em 30 de outubro.
No dia 29 de novembro, quando anunciou o aumento de 4% para a gasolina e de 8% para o diesel, a companhia não deixou claro se a proposta de reajustes de preços automáticos havia sido descartada. Na ocasião, a Petrobras disse que não iria revelar os parâmetros da nova metodologia de preços. No fato relevante, a Petrobras informou que esses parâmetros ficariam "restritos à companhia".

No entanto, um mês antes, em 30 de outubro, a empresa divulgou como seriam as novas regras e afirmou que o mecanismo previa reajuste automático do valor do diesel e da gasolina.

Diante disso, a Petrobras afirma, no comunicado desta quarta-feira que a metodologia de precificação do diesel e da gasolina aplicada a partir de 29 de novembro de 2013 contém parâmetros baseados em variáveis como preço de referência dos derivados no mercado internacional, taxa de câmbio e ponderação associada à origem do derivado vendido, se refinado no Brasil ou importado.

"Quanto à aplicação dos reajustes, estes não serão automáticos, como consequência direta da fórmula de precificação. A metodologia estabelece bandas de reajuste, conferindo à Diretoria Executiva poder discricionário à luz da dinâmica dos mercados doméstico e internacional."

Saída da presidente - A nota também diz que, em relação a especulações sobre a saída da Presidente Maria das Graças Silva Foster, a informação é refutada. 


Fonte: G1