VEJA AS NOVIDADES

20 de dezembro de 2013

Chove em mais de 70 cidades da Paraíba, mas não é suficiente para resolver problema da seca.

Nas últimas 24 horas, choveu em mais de 70 cidades da Paraíba, segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa). Os maiores índices pluviométricos foram registrados no Cariri e Sertão. A precipitação foi provocada por vórtices ciclônicos que atuaram na maior parte da região Nordeste. 

Entre as cidades onde a chuva ocorreu com maior intensidade estão: Sousa (159,8 mm), São José de Caiana (152 mm), Santa Inês (127,1 mm), Boa Ventura (113,5 mm) e Diamante (112 mm). De acordo com o boletim da análise previsão meteorológica da Aesa, pode voltar a chover nestas cidades nesta quinta-feira à tarde.

“Estas chuvas são consideradas normais para esta época do ano. Elas são provocadas pelos vórtices ciclônicos de altos níveis, fenômeno meteorológico que continua atuando em todo Nordeste. Daí a possibilidade de termos novas chuvas isoladas no Cariri e Sertão da Paraíba”, informou a meteorologista Marle Bandeira..

Nesta quinta-feira (19) durante a 2ª Reunião de Análise e Previsão Climática para o setor Norte da Região Nordeste, na seda da Aesa, em Campina Grande, os meteorologistas se mostraram satisfeitos com as previsões de chuvas para o primeiro trimestre de 2014.

“Estamos otimistas em relação à previsão para o próximo trimestre. Começamos o dia com a boa notícia da chuva em muitas cidades. Agora vamos analisar os dados para saber quais açudes foram recarregados e aguardar o anúncio dos meteorologistas torcendo para encerrarmos a quinta-feira com outra informação positiva para os paraibanos”, comentou presidente da Aesa, João Vicente Machado Sobrinho. 

Na tarde dessa quarta-feira (18), choveu por mais de uma hora em Santa Luzia, no Sertão. Apesar de ter sido fraca, a precipitação pluviométrica alegrou a população da cidade que fez festa. “A chuva renovou a esperança do povo de Santa Luzia”, afirmou o professor e escritor, que é morador da cidade, Ronaldo Magella. Os açudes da cidade estão todos secos, e o principal, que abastece o município, está sem água há meses. O abastecimento ocorre apenas pela adutora Coremas Sabugi. Segundo Magella, um empresário local está distribuindo água gratuitamente. “Ele furou dois poços e a prefeitura local está perfurando 33 poços na zona urbana e rural”, revelou. 

Durante este mês, a Aesa registrou chuvas em todas as regiões paraibanas. Além de São João do Tigre e São Sebastião que registraram maiores índices ontem, também foram os que mais registraram chuva no mês, as cidades de Sumé (Cariri) com 28 mm, e São Miguel de Itaipu (Mata paraibana), com 22 mm. No Brejo, o destaque foi para Areia, 19,7 mm. Já no Agreste, foram os municípios de Remígio, 19,2 mm e Esperança/São Miguel, 18,8 mm.

Chuva em Cajazeiras
Foto: Chuva em Cajazeiras
Créditos: Reprodução/ Folha do Sertão 


Em Patos, choveu apenas 0,6 milímetros entre terça-feira e a manhã de ontem. Segundo a meteorologista da Aesa, Marle Bandeira, a quantidade é considerada insignificante para encher os reservatórios. “Ainda vamos elaborar o prognóstico para o primeiro trimestre do próximo ano. Nesta quinta-feira (19) teremos uma reunião com vários representantes dameteorologia do Nordeste. O evento começa às 8h30 e termina às 17h quando será dada uma entrevista coletiva para divulgação do prognóstico”, afirmou, destacando que a coletiva acontecerá no DCA, bloco C da UFCG. 

Chuva em SousaFoto: Chuva em Sousa
Créditos: Reprodução/ Folha do Sertão 


Veja a lista de alguns dos municípios que registraram chuvas

Cariri Paraibano - São João do Tigre, São Sebastião de Umbuzeiro, Sumé e Borborema

Sertão - Patos, Santa Luzia, Cajazeiras, Sousa, Bonito de Santa Fé, Santa Helena, São José de Piranhas, Itaporanga, Carrapateira, Serra Grande, São João do Rio do Peixe, Uiraúna, Bom Jesus, Poço Zé Moura, Piancó, Jericó, Riacho dos Cavalos e Cachoeira dos Índios.

Mata Paraibana - São Miguel de Itaipu 

Brejo - Areia

Agreste – Remígio, Esperança, São Miguel e Pocinhos 

Seridó – Cubati e Pedra Lavrada 

Borborema - Picuí
 
Fonte: Jornal Correio da Paraíba