VEJA AS NOVIDADES

10 de dezembro de 2013

“Enquanto os homens exercem seus podres poderes”.

Antes de mais nada, quero agradecer imensamente a todos que se solidarizaram comigo pelos ataques que sofri. Se tem uma coisa para a qual contribuiu Fabiano Gomes foi para juntar gente boa em favor de um objetivo comum.

Porém, quero deixar explícita a minha opinião de que eu não posso ser o centro da solidariedade. A indignação que me tomou conta quando ouvi os xingamentos dirigidos a mim não foi maior do que a que senti quando ouvi o comentário de Fabiano sobre o caso da garota de 15 anos que teve sua intimidade exposta na internet.

Reafirmo aqui o que já falei para várias pessoas que me ligaram, que conversaram comigo pessoalmente e para os alunos novatos do curso de Jornalismo da UFPB, com os quais tive o privilégio de debater em sala de aula nesta última sexta-feira (06): o que foi dito contra mim não se compara, em alcance social e grau de insanidade, ao que foi proferido contra as mulheres, especialmente as jovens, e, por tabela, contra toda a sociedade.
Foi um espetáculo grotesco, verborragia chula, vulgar, machista, misógina, violenta, retrógrada, reacionária. Cumpriu o papel de incitar nos ouvintes os preconceitos também sedimentados em suas consciências, comprovando, mais uma vez, o potencial manipulador da mídia burguesa.

Quero chamar a todos que acompanham este caso à responsabilidade de colocarmos no centro as duas questões mais relevantes de tudo que se passou:
1. o machismo impregnado na sociedade e sua expressão midiática mais perversa e 2. a necessidade urgente de fortalecermos a luta pela democratização da comunicação.

Quero também, ao mesmo tempo que faço um agradecimento especial aos jornalistas profissionais que disseram “me representa”, chamá-los à responsabilidade de construir um Sindicato melhor e mais forte. A invasão de charlatões à nossa profissão é crescente, como são crescentes os ataques das empresas à nossa condição de trabalhadores. Não existe sindicato feito só por seu presidente ou por sua diretoria. Portanto, acho que o momento é mais do que propício para que aqueles colegas diplomados que ainda não são filiados o sejam a partir de agora, e para que todos os sócios acompanhem mais de perto as várias ações que temos desenvolvido.

Uma dessas ações, por sinal, é a rearticulação do Comitê Paraibano do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), em parceria com várias entidades e movimentos. Vamos levar à frente esta luta, agora com muito mais ânimo, pois não podemos mais permitir os abusos que parte da grande mídia (leia-se: empresas e charlatões) vem promovendo aqui na Paraíba. Não avançaremos na democracia em nosso país enquanto não democratizarmos as comunicações.

Por fim, quero informar que a produção do Correio Debate entrou em contato comigo, e está agendado o meu direito de resposta para o programa da próxima segunda-feira (09), a partir das 13h. Também a militante do movimento feminino e atual secretária municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, Socorro Borges , estará presente. Peço que repassem esta informação.

O combate ao machismo e à violência contra as mulheres é uma causa de todos! O enfrentamento legal ao ocorrido terá vários desdobramentos na próxima semana. Vamos unir o movimento feminino, o Sindicato, a OAB, as entidades dos direitos humanos e quem mais vier em prol desta causa!
 

Fonte: E-mail de Rafael Freire do SINDJORNALISTASPB