VEJA AS NOVIDADES

18 de janeiro de 2014

Estudante da Paraíba é destaque por ter tirado nota máxima da redação do Enem.

Um estudante de João Pessoa passou em primeiro lugar para o curso de medicina na Universidade Federal da Paraíba (UFPB) usando a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A pontuação de Abdias Aires, de 17 anos, foi de 838,86, resultado que o colocou no primeiro lugar geral da instituição, mas o que chamou mesmo a atenção foi a nota da redação do adolescente: 1.000 pontos, a pontuação máxima do exame.

O segredo para a redação perfeita? Leitura e treino, segundo o estudante. “É preciso treinar bastante e se informar, ler sobre assuntos atuais”, explicou. Na redação deste ano, os candidatos tiveram que escrever sobre o tema Lei Seca. “Escrevi que a Lei Seca está trazendo benefícios em relação à formação da consciência da sociedade com relação à bebida e isso é perceptível. Disse também que ainda havia muito a ser feito para se aumentar a segurança no trânsito, citando as estradas e acidentes”, descreveu.

Abdias nunca fez cursinhos preparatórios. Ele explicou que, desde cedo, ainda no ensino fundamental, foi incentivado a estudar todos os dias. “Eu estudava para entender e não para a prova. Quando eu cheguei no ensino médio, eu não me estressei para o vestibular. Apenas dei continuidade ao que eu já estava fazendo, mantive a rotina”, comentou.


O equilíbrio entre lazer e estudos também influenciou na boa colocação no vestibular, conforme explicou o rapaz. “Claro que no 3º ano a gente tem que disciplinar um pouco mais. Mas nos fins de semana e nas férias eu procurava sair com os amigos, relaxar. Houve ocasiões em que eu tive que estudar nesses momentos, mas eu não recomendo, procuro evitar”, pontuou.

A fórmula de Abdias deu certo. Ainda no 2º ano do ensino médio, ele fez o Enem e tentou entrar para medicina. Ele passou em terceiro lugar e entrou com um recurso para conseguir o certificado de conclusão do ensino médio para poder cursar. Porém, mesmo com o certificado, ele preferiu não entrar na universidade naquele momento.

“Eu fiz o 3º ano normalmente. No segundo semestre, fiz o vestibular da UFCG[Universidade Federal de Campina Grande], que também usa a nota do Enem, para engenharia elétrica e passei em primeiro lugar geral. Dessa vez, eu resolvi cursar”, relatou Abdias.

O adolescente ainda não decidiu se vai continuar cursando engenharia ou se vai mudar para medicina. Ele comentou que sempre teve dúvida entre os dois cursos. “Me atrai muito o lado humanitário da medicina”, disse.

Fonte: G1