VEJA AS NOVIDADES

13 de abril de 2014

Conheça cinco curiosidades sobre o prazer sexual feminino.

1- Elas têm orgasmo precoce

Uma pesquisa recente com mulheres portuguesas, com idade entre 18 e 45 anos, constatou que cerca de 40% delas, ocasionalmente, tinham orgasmo antes do tempo pretendido. Cerca de 3% sofriam do problema de maneira crônica.

- Para esse grupo, o orgasmo prematuro é mais do que um incômodo - disse o pesquisador Serafim Carvalho.
- Esse problema causa sofrimento tão grande nas mulheres quanto nos homens.

2- Podem gozar para aliviar a cólica menstrual

Educadora sexual e autora do best-seller "Sexo para um e orgasmo para dois", Betty Dodson recomenda que as mulheres gozem para aliviar suas cólicas menstruais. De acordo com ela, o prazer é o gatilho para um processo químico e muscular no corpo que relaxa e distrai. Não custa tentar.

3- E também para se reproduzir

Isso mesmo. Ao contrário do que você deve ter aprendido na aula de biologia do colégio, o orgasmo feminino também é importante na reprodução. Apesar de o esperma masculino ser imprescindível, uma pesquisa liderada por Elizabeth Lloyd, da Universidade de Indiana, mostra que o orgasmo feminino aumenta a ligação entre o casal e ajuda o espermatozoide a entrar no útero.

4- Têm a capacidade de chegar ao clímax apenas com o poder da mente

Se de acordo com Pere Estupinyà, fisiologicamente o orgasmo é muito parecido com um ataque de medo, ao modificar as funções do cérebro, ele também pode ser estimulado pela mente. Supostamente essa lista de "gênios do sexo" inclui a cantora Lady Gaga.

- Sentir a memória é uma coisa poderosa. Eu posso ter um orgasmo apenas pensando nele - disse a cantora à "New York Magazine".

Especialistas afirmam que tentar não faz mal, e se a prática leva à perfeição...

5-  E fingem o orgasmo para...

Segundo estudo publicado em abril deste ano, da Universidade de Temple, na Filadélfia, e do Kenyon College, em Ohio, os motivos mais comuns são: altruísmo, em que elas estão preocupadas com os sentimentos do parceiro; medo e insegurança, quando temem reações negativas por parte do parceiro; aumentar o próprio prazer; e interrupção sexual, com o objetivo de acabar logo com o sexo.

Mas, de acordo com Regina Navarro Lins, psicanalista e escritora, o fingimento durante o sexo não aumenta o prazer.

- Existe uma ideia de que a mulher quando se masturba emite sons para se estimular, mas na relação, se ela finge, simplesmente não tem prazer.

Já o fingir para acabar logo com o sexo é mais comum em mulheres casadas. De acordo com Regina, para cada homem que perde o desejo sexual pela parceira, quatro ou cinco mulheres deixam de desejar seus maridos e namorados.

Fonte: Portal Terra