VEJA AS NOVIDADES

20 de junho de 2014

NY Times alfineta Brasil e diz que seleção americana não vai avançar porque não sabe "trapacear".

O principal jornal dos Estados Unidos já aponta uma eliminação da seleção americana logo na primeira fase do Mundial. E a explicação para o fracasso no futebol se dá a um polêmico fato que envolve a seleção brasileira: de acordo com o veículo, os americanos, diferentemente de seus rivais, não sabem trapacear.

A reportagem condena a atitude dos jogadores em simular faltas e enganarem a arbitragem. E, claro, sobrou para os brasileiros. Com o título de "Onde a desonestidade é a melhor política, o futebol dos Estados Unidos cai rápido", o periódico alfineta, de forma nada sutil, o futebol brasileiro.

Assim como em todo o resto do mundo, o jornal citou o pênalti sofrido pelo atacante Fred na estreia do Brasil na Copa, contra a Croácia. Na linha da reportagem, o jornal diz que a "queda teatral do atacante ajudou o Brasil a vencer na estreia da Copa do Mundo".

Na publicação, o jornal condena: "Frederico Chaves Guedes, um atacante brasileiro conhecido como Fred, foi controlar a bola dentro da grande área. Ele sentiu a mão de um defensor croata em seu ombro. Então, atirou-se no chão como se tivesse sido puxado por uma corda como um marionete, jogando os braços para o ar e gritando histericamente".

A reportagem conta com declarações de membros da comissão técnica dos Estados Unidos e de ex-jogadores da seleção norte-americana. Todos condenam o exercício da simulação e afirmam que esta é uma questão cultural, que não pertence aos Estados Unidos.

Mas, como esse parece ser o caminho para o futebol de resultado, como diz a matéria, é levantada a questão da utilização dessa prática pelos americanos. 

"Os melhores atacantes do mundo, incluindo Cristiano Ronaldo e Luis Suárez, caem regularmente no chão, especialmente se sentem que vão perder a posse de bola. E por que não? Se funciona, conseguem uma falta. Se não acontecer, iriam perder a bola de qualquer maneira", concluiu a reportagem.