VEJA AS NOVIDADES

27 de junho de 2014

PMDB lança Vital ao Governo e Paulino como vice

Demorou, mas saiu a decisão do PMDB em relação à candidatura ao Governo do Estado. No fim da tarde de hoje, o senador Vital Filho confirmou que será o pré-candidato do partido, substituindo o irmão, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), cuja desistência foi anunciada hoje de manhã. "Acabei de receber a missão do PMDB para comandar a chapa na Paraíba, Eu, Lula e Dilma temos certeza da vitória por uma PB e um País melhor!", escreveu Vital em seu perfil no Facebook.
Além dele, o PMDB lançou também o ex-governador da Paraíba, Roberto Paulino como postulante a vice. A vaga para o Senado ainda está em aberto e o partido insiste em contar com o apoio do PT e o retorno de Lucélio Cartaxo (PT), que fechou ontem uma composição com o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB).

Depois do anúncio da decisão, Vital fez questão de pregar um discurso de reconciliação com o PT, inclusive, chamando o presidente do PT em João Pessoa, Lucélio Cartaxo, de seu candidato a senador.

Encarando a indicação como nova missão, Vital classificou o chamado do PMDB de sublime e histórica. Ele agradeceu ao partido, ao ex-governador José Maranhão, e a todos os deputados e membros do partido pelo confiança. "É um momento sublime, desafiador para minha vida, principalmente por suceder uma pessoa como Veneziano Vital do Rego", declarou.

Em relação à decisão do PT, que ontem anunciou apoio ao governador, Vital reafirmou que não é definitiva e revelou que ainda hoje vai procurar o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo e seu irmão Lucélio Cartaxo, a quem se referiu como "nosso candidato ao Senado".

"Vamos conversar com o PT, que no plano nacional está irmanado com o PMDB, por que o palanque de Dilma na Paraíba é o palanque do PMDB e do PT. Os avanços do governo do PT tem a participação do PMDB", afirmou.

O senador disse entender a decisão tomada ontem pelo PT e garante que com diálogo, será possível aparar as arestas e manter a chapa PMDB/PT.

"Para nós do PMDB, o ato de ontem não é definitivo, havia uma instabilidade na candidatura do PMDB, sofremos muitos nestes últimos 20 dias, uma série de acontecimentos infelizes e naquele momento parte do PT poderia ter essa impressão, mas graças a Deus, nas últimas 24 horas, encontramos a solução", destacou.


Fonte: Assessoria