VEJA AS NOVIDADES

2 de junho de 2014

VERGONHA: Estudantes universitários de Itabaiana voltam a reivindicar transporte de qualidade e ameaçam recorrer ao Ministério Público.

Estudantes empurram ônibus com problema mecânico
Os estudantes universitários que se deslocam todas as noites para João Pessoa voltaram a procurar a reportagem para novas denúncias da precariedade dos ônibus postos à disposição, os quais costumam apresentar defeitos mecânicos durante as viagens, deixando os passageiros nas estradas. “Como se não bastasse o absurdo dos alunos pagarem 80 reais por mês para uma empresa particular, os ônibus são velhos, em péssimo estado de conservação, colocando em risco as vidas dos estudantes”, reclama um dos alunos usuários do transporte.
Segundo ele, os próprios motoristas reclama das condições dos veículos, sendo comum a interrupção da viagem pelo menos duas vezes durante a semana. Quando os ônibus apresentam problemas em Itabaiana, antes de seguir viagem, os alunos desistem e perdem aulas. Os que conseguem vagas nos outros ônibus, viajam em pé nos veículos superlotados.

“O pior é quando quebra na estrada, porque ficamos até altas horas da noite esperando outro ônibus. No último evento desse tipo, esperamos até duas e meia da madrugada em Café do Vento pelo socorro”, disse um estudante. Ele confirmou que os estudantes de Campina Grande, Goiana e Timbaúba são usuários dos “amarelinhos” da Prefeitura e não sofrem esse tipo de problema. “Eles são transportados em ônibus novos e só pagam uma ajuda de custo simbólica para o motorista que trabalha fora do seu horário”, acrescentou.  

Segundo uma fonte da Prefeitura, os estudantes universitários devem continuar ajudando com o custeio dos transportes. "O peso é muito grande. Além do transporte escolar de obrigação do município, há uma despesa com o transporte universitário", explicou. O estudante Adailton Macário afirmou que os seus colegas pretendem redigir um documento para ser entregue ao Ministério Público, a fim de que a situação se normalize. “Tem muita gente quase desistindo de estudar por causa da precariedade dos ônibus, e isso é de responsabilidade da Prefeitura”, disse ele.

Fonte: Tribuna do Vale Online