VEJA AS NOVIDADES

25 de agosto de 2014

5 coisas que você deve saber sobre depressão.

Em um espaço de duas semanas foram anunciadas as mortes do ator americano Robin Williams e do humorista brasileiro Fausto Fanti. Ambos sofriam da mesma doença: Depressão. Atualmente, ela é a segunda doença mais incapacitante do mundo e, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), até 2020 será a primeira. Ao todo, mais de 340 milhões de pessoas sofrem do transtorno psicológico, 13 milhões delas estão no Brasil. Por ano, 850 mil pessoas com depressão em seu estágio mais grave cometem suicídio.
Para a psicóloga da Hapvida Saúde, Julita Sena, a doença carrega o estigma de todas as doenças psiquiátricas. “A visão que temos sobre transtornos mentais é arcaica e os profissionais da saúde têm um longo caminho para desconstruir essa imagem que a sociedade tem sobre os pacientes”, explica Julita.

1.      Depressão não é apenas “estar para baixo”

"A distinção entre depressão e tristeza deve ser sempre reconhecida e bem trabalhada pelos profissionais", explica Julita. Enquanto quem está apenas triste consegue fechar um ciclo e retomar a vida normal, o mesmo não acontece com quem apresenta um quadro depressivo. A doença atrapalha a rotina, tornando atividades do dia a dia insuportáveis e pode até mesmo trazer a sensação de que é desnecessário continuar a viver. 

2.      Qualquer pessoa pode ter depressão

Embora estudos apontem que há fatores genéticos que tornem algumas pessoas mais propensas à depressão, qualquer um pode ser vítima da doença, até mesmo crianças. Fatores externos, como uma vida muito estressante, problemas profissionais ou familiares, abuso de drogas e álcool, podem podem desencadear um quadro depressivo.

3.      Não é falta de força de vontade

Na tentativa de ajudar, é comum que amigos e familiares tentem motivar alguém com depressão dizendo que é preciso “força de vontade” da parte dela. Na verdade, a    depressão é uma doença e deve ser tratada com suporte médico e terapêutico adequado. “Esses acompanhamentos são imprescindíveis para que o desejo pela vida seja recuperado”, explica a psicóloga da Hapvida.

4.      Os sintomas não são apenas psicológicos

A depressão pode ser detectada por diversos fatores psicológicos e comportamentais: baixa autoestima, reclusão social, irritabilidade. No entanto, o corpo também padece com os efeitos da doença. A pessoa depressiva pode ter o sistema imunológico afetado, dores pelo corpo, insônia ou sonolência em excesso, entre outros.

5.      Preconceito só atrapalha

Estima-se que 20% da população sofre ou irá sofrer de depressão em algum momento da vida. No entanto, a sociedade possui uma imagem negativa em relação aos transtornos psicológicos em geral. Ao contrário de doenças como diabetes ou câncer, por exemplo, elas geram pouco empatia e são alvo de preconceito. O que apenas prejudica o paciente e, muitas vezes, faz com que ele retarde a procura por um profissional que possa ajudá-lo.

Fonte: Pauta Assessoria de Comunicação
Luana Ferreira
(83) 3042-5558 / 9630-1967
luana@pautacom.com.br
www.pautacom.com.br