VEJA AS NOVIDADES

9 de setembro de 2014

Campanha política na Paraíba é a 3ª mais cara do Brasil segundo dados do TSE.

Dados apresentados pelo jornal Folha de São Paulo do último domingo (07), mostram que os gastos dos candidatos a governador com campanha eleitoral chegaram a R$ 362 milhões no país. Com 2.835.882 eleitores, a Paraíba, tratada pela Folha como sendo um dos Estados “sem grande população e com menor força econômica”, é o terceiro entre os que possuem as campanhas mais caras para governador no Brasil.
Paraíba fica atrás do Mato Grosso do Sul, que tem um eleitorado de 1,8 milhão e somou despesas de R$ 31 milhões até agora. Já os seis candidatos ao governo da Paraíba gastaram juntos R$ 23,7 milhões nos primeiros dois meses de campanha, segundo as prestações de contas parciais divulgadas pelo TSE. São Paulo, que naturalmente não está no rol dos Estados “sem grande população e com menor força econômica”, foi o campeão nos gastos.

Em dois meses de campanha, os candidatos ao governo da Paraíba já arrecadaram R$ 11,7 milhões em doações, de acordo com os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) neste sábado (6). Na declaração anterior, publicada em 6 de agosto, os candidatos ao governo do estado haviam informado uma arrecadação de R$ 3,7 milhões.

Por sua vez, as despesas com a campanha já chegam a R$ 23,7 milhões. O valor representa 30,2% da previsão total de gastos dos candidatos ao governo da Paraíba nas Eleições 2014. No primeiro mês de camapnha, os gastos tinham ficado em R$ 9,6 milhões.

A maior arrecadação e a maior despesa nesses dois meses de campanha são do candidato Cássio Cunha Lima (PSDB). Com a campanha mais cara entre os postulantes ao governo do estado até agora, o tucano já arrecadou R$ 4,5 milhões em doações e gastou R$ 8,7 milhões. A previsão de limite de gastos do candidato é de R$ 18 milhões.

A segunda campanha mais cara até agora é a do candidato à reeleição Ricardo Coutinho (PSB), que arrecadou R$ 4,2 milhões e já gastou R$ 8,4 milhões, dos R$ 25 milhões previstos. Já o candidato Vital do Rego (PMDB), que ocupa o terceiro lugar em arrecadação e despesas, recebeu R$ R$ 2,8 milhões e gastou R$ 6,4 milhões, enquanto sua programação é gastar R$ 25 milhões até o fim da campanha.