VEJA AS NOVIDADES

10 de setembro de 2014

Seleção brasileira repete vitória magra contra o Equador e ganha confiança.

A seleção brasileira provou na noite desta terça-feira, em Nova Jersey, que não se abalou com o polêmico corte do veterano Maicon. Com um gol de Willian após cobrança de falta ensaiada, o time de Dunga derrotou o Equador por 1 a 0 e ganhou confiança para dar sequência ao ciclo que sucede o vexame na Copa do Mundo em casa.

Na sexta-feira, a seleção brasileira já havia superado a Colômbia também por 1 a 0, com gol de falta de Neymar. O próximo compromisso está marcado somente para o sábado de 11 de outubro, novamente contra um rival sul-americano. Será diante da vice-campeã mundial Argentina, em Pequim.

O jogo

Brasil e Equador demoraram a se acostumar às condições do campo do Estádio Metlife. Com um gramado natural improvisado por cima do artificial, os dois times precisaram correr um pouco mais, erraram alguns passes e tiveram algumas divididas ríspidas no princípio de partida.

A primeira falha do Equador quase resultou em gol do Brasil. Logo no minuto inicial, Oscar enfiou a bola para Diego Tardelli, e o jovem zagueiro Cangá furou. O atacante do Atlético-MG foi pego de surpresa e não pôde aproveitar a oportunidade.A Seleção Brasileira custou a encontrar outras chances como aquela. Ao contrário da Colômbia, que atacou bastante no amistoso da semana passada, o Equador adotou uma postura mais cautelosa e ofereceu poucos espaços para a equipe de Dunga trabalhar.

Neymar, por exemplo, só conseguiu construir uma boa jogada aos 21 minutos. O astro brasileiro avançou cercado por dois marcadores e, atrapalhado pelo campo, arriscou o chute quando chegou à área. A bola subiu demais.

Aos 30 minutos, a Seleção enfim tirou o Equador da zona de conforto. Com o dedo de sua nova comissão técnica. Em uma cobrança de falta ensaiada, Oscar rolou a bola para Neymar, que levantou para a área. Willian saiu à frente do goleiro Domínguez e bateu rasteiro e cruzado para abrir o placar.

Forçado a se arriscar um pouco mais, o Equador ficou perto de alcançar a igualdade cinco minutos depois. Valencia recebeu na ponta direita e finalizou com firmeza. A bola parou na trave, assustando Jefferson, no último lance de maior destaque do primeiro tempo.

Para o segundo, o Brasil voltou mudado. Dunga apostou na dupla de armação do Cruzeiro, formada por Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart, nos lugares de Oscar e Willian. O seu colega Sixto Vizuete trocou Sornoza por Rojas no Equador.

Com os times mudados, o Brasil atacou primeiro. Danilo fez ótimo cruzamento rasteiro da direita, e Neymar desperdiçou a assistência de forma incrível. O atacante do Barcelona chutou de primeira, com o gol escancarado, e mandou a bola no travessão.

Aos 15 minutos, o Equador mostrou que ainda estava vivo. Paredes cruzou a bola da direita para Valencia cabecear. Jefferson defendeu, e Filipe Luís ainda precisou se esticar para evitar que a conclusão parasse no fundo do gol brasileiro.

Como os equatorianos se animaram e passaram a ser mais presentes no campo de ataque, Dunga entrou em ação. Trocou Tardelli por Philippe Coutinho e Ramires por Elias. No Equador, Angulo ocupou o posto que era de Cazares ao lado de Valencia.

A partir de então, o amistoso ficou monótono. À exceção de uma conclusão por cobertura de Éverton Ribeiro, que só não resultou em golaço por causa da defesa de Domínguez, não houve mais grandes emoções para os torcedores de Brasil e Equador.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 1 X 0 EQUADOR

Local: Estádio Metlife, em Nova Jérsei (Estados Unidos)
Data: 9 de setembro de 2014, terça-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Edvin Surisevic (Estados Unidos)
Assistentes: Frank Anderson e Peter Manikowski (ambos dos Estados Unidos)
Cartão amarelo: Erazo (Equador)

Gol
BRASIL: Willian, aos 30 minutos do primeiro tempo

BRASIL: Jefferson; Danilo (Gil), Miranda, Marquinhos e Filipe Luís; Luiz Gustavo (Fernandinho), Ramires (Elias), Willian (Ricardo Goulart) e Oscar (Éverton Ribeiro); Neymar e Diego Tardelli (Philippe Coutinho)
Técnico: Dunga

EQUADOR: Domínguez; Paredes, Cangá, Erazo e Ayoví; Castillo, Ibarra (Martínez), Sornoza (Rojas) e Noboa; Cazares (Angulo) e Valencia
Técnico: Sixto Vizuete