VEJA AS NOVIDADES

11 de outubro de 2014

Quem decidiu foi Tardelli. Brasil de Dunga vence a Argentina em Pequim


A camisa 9 da seleção ficou vaga após a fraca participação de Fred na Copa do Mundo. Diego

Tardelli deu demonstração neste sábado de que pode ser o homem-gol que Dunga tanto busca. O atacante marcou os dois gols da vitória da seleção brasileira contra a Argentina, 2 a 0, na disputa do Superclássico das Américas, em Pequim.

O atacante do Atlético-MG fez um gol em cada tempo e ainda colaborou com o sistema defensivo, acompanhando o ataque rival.

Com este resultado, o Brasil se sagra tricampeão do Superclássico das Américas. O duelo, aliás, foi 1º teste de peso neste retorno de Dunga à seleção. O treinador havia vencido seus dois primeiros amistosos por 1 a 0 contra Equador e Colômbia.

A partida no Ninho de Pássaro opôs um Brasil em "fase de construção" após eliminação vexatória na Copa diante de uma Argentina  que conservou a base vice-campeã mundial. A Argentina veio a campo com sete jogadores que atuaram na decisão da Copa do Mundo.

As fases do jogo: O primeiro tempo começou com a Argentina partindo para cima. Aguero pediu pênalti após ser derrubado por David Luiz. Em 20min, os argentinos já haviam finalizado seis vezes, contra nenhum da seleção.

Embora menos intenso no ataque, o Brasil foi mais produtivo. Diego Tardelli aproveitou vacilo na zaga argentina e chutou cruzado, rasteiro, abrindo o placar: 1 a 0, aos 27 min da etapa inicial.

A Argentina teve chance de empatar no fim do 1º tempo, mas Messi errou cobrança de pênalti. Jefferson pulou para a direita, acertando o lado cobrado.

No segundo tempo, o Brasil era melhor em campo. Felipe Luis e David Luiz perderam boas chances de gol. Neymar foi alvo de botinadas. Havia um rodízio de pancadas no camisa 10.

O segundo gol de Tardelli nasceu de um cruzamento de Oscar. David Luiz desviou a bola antes de Tardelli aparecer para marcar de cabeça.

Daí em diante, o Brasil controlou a Argentina com segurança na etapa final e ainda teve chances de fazer mais.

O melhor: Tardelli. Faro impressionante de gol. Não foi aquele atacante que apareceu muito. Mas decidiu nas duas vezes em que recebeu a bola na área.

O pior: Demichelis. Falhou feio no primeiro gol de Tardelli. Lento, não conseguiu acompanhar arrancadas de Neymar.

A chave do jogo. O Brasil estudou a Argentina. A seleção treinou bastante a saída da marcação pressão. O conhecimento prévio do rival fez diferença. Messi teve pouco espaço para criar jogadas.

Chineses loucos por Kaká- A torcida foi um personagem à parte. Eles vibraram mais quando o Kaká levantou para aquecer, por exemplo, do que com os gols de Tardelli. O momento de maior barulho no estádio foi quando o Kaká entrou em campo a 10 min do fim.

Toque dos técnicos: Tata Martinez montou time equilibrado, com suas principais estrelas (Messi e Di Maria). Dunga explorou os avanços ofensivos da Argentina. Seleção brasileira saía em velocidade após ser atacado e incomodava sobretudo com Neymar e Tardelli.

BRASIL 2 X 0 ARGENTINA

Data: 11/10/2014 (sábado)
Local: estádio Ninho de Pássaro, em Pequim (China)
Árbitro: Fan Qi (China)
Auxiliares: Hio Weiming , Um Yuxin (China)
Cartões amarelos: Danilo, David Luiz (BRA); Mascherano, Fernández (ARG)
Gols: Diego Tardelli, aos 27min do primeiro tempo e aos 18min do segundo tempo

Brasil
Jefferson; Danilo, Miranda, David Luiz (Gil) e Filipe Luis; Elias, Luiz Gustavo, Oscar e Willian; Neymar (Robinho) e Diego Tardelli (Kaká)
Técnico: Dunga

Argentina
Romero; Zabaleta, Demichelis, Federico Fernandez e Rojo; Mascherano; Pereira (Pérez), Lamela (Pastore) e Di Maria; Aguero (Higuain) e Messi
Técnico: Tata Martinez

Fonte: Uol.com