VEJA AS NOVIDADES

16 de novembro de 2014

Vasco perde para Ceará, adia subida e não pode mais ser campeão da série B.

A campanha irregular do Vasco na série B do Campeonato Brasileiro da série B ganhou mais um capítulo dramático neste sábado. O Cruzmaltino foi derrotado pelo Ceará por 2 a 0 na Arena Castelão, adiou a oportunidade de praticamente confirmar sua subida à primeira divisão e ainda perdeu as poucas chances que ainda restavam de ser campeão da competição. Diego Ivo e Ricardinho marcaram os gols que deixaram os cariocas estacionados nos 59 pontos e levaram os cearenses aos 54.

Com o bom resultado, o Ceará entrou no G-4, beneficiado pelo tropeço do Santa Cruz diante do Bragantino. Apesar do revés, o Vasco viu a vantagem de seis pontos mantida e pode garantir o acesso já na próxima rodada – caso vença e o quinto colocado tropece.

Fases do jogo: Apesar da escalação com três zagueiros e a tendência por um time defensivo, o Vasco iniciou o jogo ditando o ritmo e controlou as primeiras ações. No entanto, o Cruzmaltino amargava o mesmo problema dos últimos jogos: a falta de criatividade no campo de ataque. Sem eficiância, a equipe tinha a bola, mas não assustava.

Aos poucos, o Ceará via a oportunidade de começar a igualar as ações. E assim fez. Com velocidade, o time da casa chegava com perigo. Até que chegou ao gol aos 30 minutos. O zagueiro Diego Ivo aproveitou uma bola rebatida dentro da área e, sozinho, acertou um bonito chance para o fundo da rede, sem chance de defesa para o goleiro Martin Silva.

O gol desestabilizou os vascaínos, que ainda sofreram outro seis minutos depois. Ricardinho cobrou falta, a bola desviou em Aranda e foi para o fundo do gol. Com 2 a 0 no placar, o Ceará apenas administrou o final do primeiro tempo.

Na volta do intervalo, Joel Santana alterou sua propostam inicial e lançou mão de um atacante na vaga de um zagueiro. Tudo em vão. O Ceará já controlava a partida e não dava espaços para o Vasco. Mais do que isso, ainda pressionava o Cruzmaltino, monstrando-se muito mais perto de marcar o terceiro do que de levar o primeiro.

Magno Alves e Bill, sempre auxiliados por Ricardinho, chegavam com perigo. A eficiência, no entanto, não era a mesma da primeira etapa. Mesmo com a falta de pontaria, o Ceará dominava tranquilamente e não era incomodado pelo Vasco. O cenário foi mantido até o apito final, quando os donos da casa confirmaram a boa e justa vitória por 2 a 0.

Melhor: Ricardinho – comandou as ações ofensivas do Ceará e ainda marcou um bonito gol de falta, garantindo a boa vantagem no placar

Pior: Aranda – perdido na marcação, o volante foi envolvido pelo setor de criação do Ceará e não ajudou o Cruzmaltino nas saídas de bola

Chave do jogo: Gols em sequência desmontam esquema de Joel. Com dois tentos em seis minutos, no primeiro tempo, o Ceará desmontou a retranca do Vasco. O treinador cruzmaltino teve que mudar o esquema no segundo tempo e não conseguiu reverter o cenário desfavorável.

Para lembrar: Na próxima rodada, o Vasco encara o Vila Nova, na terça-feira, em São Januário. Já o Ceará encara o ABC, no mesmo dia, na Arena das Dunas.

A derrota deste sábado comprovou a fase irregular do time na série B. Das cinco últimas partidas, o time de São Januário venceu apenas uma – perdeu duas e empatou outras duas.

Esta foi apenas a terceira vitória do Ceará sobre o Vasco na história. Os outros triunfos ocorreram em 1977 (4 x 1) e 2009 (2 x 0).

CEARÁ 2 x 0 VASCO

Data: 15/11/2014 (sábado)
Local: Arena Castelão, em Fortaleza (Ceará)
Árbitro: Fabricio Neves Correia (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (RS) e Lucio Beiersdof Flor (RS)
Cartões amarelos: Sandro (CEA); Diego Renan e Aranda (VAS)
Gols: Diego Ivo, aos 30, e Ricardinho, aos 36 minutos do primeiro tempo

Ceará
Luís Carlos; Samuel Xavier, Sandro, Diego Ivo e Vicente; João Marcos, Michel (Everton), Ricardinho e Assisinho (Felipe Amorim); Bill (Lulinha) e Magno Alves
Técnico: Paulo César Gusmão

Vasco
Martin Silva; Luan, Rodrigo e Anderson Salles (Rafael Silva); Carlos César, Aranda, Guiñazu, Douglas (Edmilson), Maxi Rodríguez (Montoya) e Diego Renan; Kléber
Técnico: Joel Santana