VEJA AS NOVIDADES

5 de fevereiro de 2015

Consuni vai definir hoje reajuste para a UEPB.

O Conselho Universitário (Consuni) da Universidade Estadual da Paraíba se reúne hoje, às 9h30, para definir a proposta de reajuste salarial dos professores e técnicos-administrativos que será encaminhada ao governo do Estado e, por conseguinte, à Assembleia Legislativa. A Associação de Docentes da instituição (Aduepb) e o Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior da Paraíba (Sintespb) protocolaram uma proposta conjunta de 8% de recomposição salarial.
O reitor Rangel Júnior disse que não tem condições técnicas e financeiras para fixar o reajuste, pois os recursos reais destinados pelo Orçamento 2015 do Estado para a UEPB não são suficientes para garantir aumento nos vencimentos dos docentes e servidores, mas vai respeitar a decisão do Consuni.

O presidente da Aduepb, professor Juscelino Luna, espera que o Conselho Universitário homologue os 8%, retroativo a janeiro deste ano. “A proposta dos docentes e técnicos-administrativos é uma recomposição das perdas da inflação do ano passado mais a perda de 1%. A universidade tem autonomia e esperamos que ela seja respeitada pelo governo, a exemplo do Tribunal de Contas, Defensoria Pública e outros órgãos que tiveram reajustes aprovados esta semana pela Assembleia”, explicou Juscelino.

O dirigente informou que serão beneficiados com a recomposição salarial 1.256 professores, sendo 300 substitutos e o restante do quadro efetivo. Em relação aos funcionários, o reajuste vai contemplar 800 servidores da UEPB.

REITORIA 
O reitor Rangel Júnior, que preside o Consuni, disse que vai respeitar a decisão da maioria e encaminhar ao Governo do Estado o que foi decidido. Todavia, ele ponderou que não há recursos no Orçamento de 2015 margem para reajuste.

Segundo ele, no ano passado, as despesas com pessoal da UEPB, incluindo o 13º salário totalizaram pouco mais de R$ 244 milhões, mesma projeção para 2015. Para ter o reajuste, a UEPB precisaria de suplementação orçamentária.

GOVERNO
O chefe de gabinete do governador, Fábio Maia, disse que o governo só vai se pronunciar sobre o tema após receber oficialmente o anteprojeto da UEPB sobre o reajuste, mas avisou que a situação financeira do país e dos estados é de dificuldade, logo na Paraíba não é diferente.

Fonte: Jornal da Paraíba