VEJA AS NOVIDADES

10 de fevereiro de 2015

Operações 'Área Segura 1' e 'Elos' aconteceram nas cidades de João Pessoa, São José dos Ramos e Itabaiana; mais de 60 armas foram apreendidas.

Três pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (10) suspeitas de terem envolvimento com homicídios na Zona Sul de João Pessoa. A operação, intitulada Área Segura 1, acontece nos bairros de Mangabeira, Valentina Figueiredo e Costa e Silva. 

Outras seis pessoas já haviam sido presas pelo mesmo tipo de crime na localidade. Ao longo da manhã, outros mandados de prisão podem ser cumpridos.

A ação conta com a participação de 115 policiais, entre civis, militares e bombeiros. Os trabalhos acontecem em parceria do 5º Batalhão da Polícia Militar, Delegacia Seccional de Polícia Civil e Delegacia de Crimes contra a Pessoa. Comandam a operação a delegada Roberta Neiva e o tenente coronel Carlos Sena.

A operação ‘Área Segura 1’ também conta com apoio do Grupamento Tático Aéreo (GTE) da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Seds), que sobrevoa o bairro com o helicóptero Acauã. O Departamento de Trânsito do Estado (Detran) e Superintendência Executiva de Transportes Urbanos da Capital (Semob) também participam da operação, nas ações de saturação e fiscalização da área.

Os detalhes da operação serão dados às 9h, na sede do Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp) de Mangabeira, com as presenças da delegada seccional Roberta Neiva e do comandante do 5º BPM, tenente coronel Carlos Sena.

Agreste

Seis pessoas foram presas na madrugada desta terça-feira (10) durante a Operação Elos, nas cidades de São José dos Ramos e Itabaiana, no Agreste do estado. Na operação, que contou com a participação de 60 policiais, entre civis e militares, mais de 60 armas de fogo foram apreendidas.

De acordo com o coordenador da operação, delegado Hugo Helder, da delegacia seccional de Itabaiana, o grupo foi preso por tráfico de drogas, homicídios e assaltos. Todos os suspeitos são homens e maiores de idade. Ainda conforme a autoridade policial, alguns dos suspeitos são parentes.

Fonte: Portal Correio