VEJA AS NOVIDADES

9 de março de 2015

“Comia as galinhas e atacava as pessoas”, diz mulher que matou cachorro a pauladas na PB.

A costureira de 80 anos que foi flagrada em vídeo matando um cachorro a pauladas disse que matou o animal porque ele estava comendo às galinhas e mordendo as pessoas. O depoimento dela foi feito na delegacia de Guarabira, a 98 Km de João Pessoa, na manhã desta segunda-feira (9), depois de ser presa pela Polícia Civil local durante a ‘Operação São Francisco’. A filha da mulher também foi detida.  

(Veja abaixo o flagrante do espancamento)

Ao ser questionada sobre a participação de outras pessoas no crime ela disse: “eu matei sozinha. Mas, um vizinho deu a primeira ‘cacetada’ depois que eu perguntei se tinha coragem de matar o cachorro, que me aperriava demais (sic)”, falou. A senhora isentou a filha de participar o crime. Ainda conforme o depoimento, a mulher disse que terminou de matar o animal depois da primeira paulada. “Como ele [vizinho] não teve coragem, eu peguei o pau e terminei de matar o cachorro porque já estava sofrendo”, disse.

As pessoas que aparecem no vídeo divulgado pelas redes sociais foram presas durante a ‘Operação São Francisco’ realizada pela Polícia Civil na cidade de Guarabira, no Brejo do estado. Outras nove pessoas também foram pegas durante a ação policial. Perto da casa da acusada funcionava um ponto de comercialização de drogas que foi fechado,  conforme revelou o delegado Walber Virgolino, Seccional da Polícia Civil do Brejo.

“Depois do vídeo postado fiquei a par da situação e deflagramos a operação São Francisco. As duas mulheres - mãe e filha - que aparecem no vídeo foram presas”, adiantou o delegado, que informou ainda que em outra localidade do mesmo bairro, um ponto de drogas foi fechado após denúncias anônimas a respeito do tráfico de drogas. Maconha e crack foram apreendidos e dez pessoas foram pegas

Ainda segundo Virgolino, o cachorro morto foi encontrado ainda na casa. Um vídeo que circula na internet desde a manhã desse domingo (8), mostra que o crime ocorreu no conjunto José Cassimiro, na cidade de Guarabira, a 98 km de João Pessoa. As imagens foram feitas por um vizinho da suspeita. Ao Portal Correio, o estudante – que preferiu não se identificar temendo algum tipo de represália – revelou que estava dormindo quando acordou com os gritos de socorro.

“O espancamento ocorreu de frente à janela do meu quarto, por volta das 8h. O cachorro gritava alto e me acordei. A mulher dava fortes e sucessivos golpes de caibro no animal, que estava amarrado numa árvore. Outras duas pessoas estavam perto da senhora, mas não fizeram nada para salvar o bicho. Não deu tempo para reagir. Pouco tempo depois que comecei a gravar, o animal morreu devido os golpes de caibro”, revelou o estudante.

Ainda segundo ele, a Polícia Militar foi acionada, mas não compareceu. “Comuniquei o caso à PM, mas eles não vieram até o momento que fiquei filmando. Logo depois, o corpo do cachorro foi retirado”, disse o morador.

O delegado Walber Virgolino, seccional da Polícia Civil do Brejo da Paraíba, que adiantou abriu uma investigação para punir dos culpados. Segundo a Polícia Civil, que vai investigar o crime, a pena para quem comete crime de maus-tratos contra animais varia de três meses a um ano de prisão, aumentando quando há caso de reincidência.



Fonte: Portal Correio