VEJA AS NOVIDADES

1 de julho de 2015

Força da Internet na PB supera média nacional; segmento vira fonte primária de informações.

A Paraíba é destaque nacional como um dos estados que mais acessa internet para se informar, inclusive com média acima do número nacional. A informação foi divulgada através da "Pesquisa Brasileira de Mídia 2015" (PBM 2015) encomendada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Segundo os dados, a Paraíba tem 33% da população que usa internet para se informar todos os dias, em todo país são 37%, mas na intensidade de uso o Estado paraibano fica acima da média nacional.
A atualização em tempo real dos sites de notícias é um dos pontos fortes do segmento. 

Os usuários estão em busca, principalmente, de informações (67%) – sejam elas notícias sobre temas diversos ou informações de um modo geral –, de diversão e entretenimento (67%), de uma forma de passar o tempo livre (38%) e de estudo e aprendizagem (24%).

No Brasil os que acessam a internet ficam 4 horas e 59 minutos online, na Paraíba são 6 horas e 26 minutos de segunda a sexta.

Nos fins de semana também temos números acima: Brasil 4 horas e 24 minutos e na Paraíba 5 horas e 28 minutos. 

Assim como a televisão e o rádio, os ciclos horá rios de uso da internet de 2ª a 6ª-feira e nos finais de semana são semelhantes e possuem uma alta correlação.

Isso significa que as pessoas tendem a estar conectadas mais ou menos nos mesmos horários, independentemente do dia. Seja de 2ª a 6ª-feira, seja aos sábados e domingos, o pico de uso da internet ocorre à noite, por volta das 20 horas



Entre as redes sociais e os programas de trocas de mensagens instantâneas mais usadas (1º + 2º + 3º lugares), estão o Facebook (83%), o Whatsapp (58%), o Youtube (17%), o Instagram (12%) e o Google+ (8%). O Twitter, popular entre as elites políticas e formadores de opinião, foi mencionado apenas por 5% dos entrevistados.

Em relação aos principais suportes de acesso à internet (1º + 2º lugares), os resultados mostram que a maioria dos entrevistados (71%) o fazem via computador, seguido pelo celular (66%). Há ainda uma pequena parcela (7%) dos pesquisados que utiliza tablets para navegar pelo mundo digital.

INTERNET X JORNAL IMPRESSO

Nesse levantamento foi verificado ainda que de cada 100 pessoas, 37 utilizam a internet todos os dias, contra apenas 7 que leem jornais diariamente.

O estudo mostra também que quase a metade dos brasileiros, 48%, usa internet, enquanto apenas 21% dos brasileiros leem jornais ao menos uma vez por semana.

Além disso, a PBM 2015 mostra que o brasileiro já gasta cinco horas do seu dia conectado à internet e que o percentual de pessoas que utilizam a internet todos os dias cresceu de 26% na PBM 2014 para 37% na PBM 2015.O Ibope ouviu mais de 18 mil entrevistados.

O hábito de uso da internet se intensificou, segundo esta nova pesquisa, comparado ao resultado obtido na PBM 2014. Os usuários das novas mídias ficam conectados, em média, 4h59 por dia durante a semana e 4h24 nos finais de semana - na PBM 2014, os números eram 3h39 e 3h43 -, valores superiores aos obtidos pela televisão.

Mais do que as diferenças regionais, são a escolaridade e a idade dos entrevistados os fatores que impulsionam a frequência e a intensidade do uso da internet no Brasil. Entre os usuários com ensino superior, 72% acessam a internet todos os dias, com uma intensidade média diária de 5h41, de segunda a sexta-feira. Entre as pessoas com até a 4ª série, os números caem para 5% e 3h22. 65% dos jovens na faixa de 16 a 25 se conectam todos os dias, em média 5h51 durante a semana, contra 4% e 2h53 dos usuários com 65 anos ou mais.


  O uso de aparelhos celulares como forma de acesso à internet já compete com o uso por meio de computadores ou notebooks, 66% e 71%, respectivamente. 

CONFIRA OS NÚMEROS

95% veem TV sendo que 73% têm o hábito de assistir diariamente

55% escutam rádio

30% ouvem rádio todos os dias

48% usam internet

37% usam internet diariamente

21% leem jornais ao menos uma vez por semana

7% leem jornais diariamente

13% leem revistas

Fonte: PB Agora