VEJA AS NOVIDADES

29 de julho de 2015

Lava Jato: Mário Góes aceita acordo de delação e vai colaborar com PF e MPF.

Um novo acusado aceitou o acordo de delação premiada e vai colaborar com Polícia Federal e Ministério Público Federal. Na última sexta-feira (24), em uma entrevista coletiva, o Ministério Publico Federal tinha dito que a Operação Lava-Jato tem no total 22 delatores e que seis nomes eram mantidos em sigilo.

Um desses delatores é Mário Góes, apontado como um dos operadores do esquema de corrupção. Ele foi preso acusado de ter repassado dinheiro de propina das construtoras Odebrecht e Andrade Gutierrez.
Nos últimos dois depoimentos de Mário Góes na Justiça Federal, em Curitiba, ele chorou e mal conseguiu falar. Por isso, ele deve ser ouvido novamente nessa quinta-feira (30) pelo juiz Sérgio Moro na sede da Justiça Federal.

Na 16ª fase da Operação Lava-Jato, dois depoimentos importantes são aguardados. Um será com o presidente licenciado da Eletronuclear, Othon da Silva, e o outro com o executivo da Andrade Gutierrez Flavio Barra. Esses depoimentos foram adiados para quinta-feira, porque o advogado de defesa de Othon da Silva argumentou que queria mais tempo para estar ao lado do cliente e acompanhar com mais base o interrogatório.

Os dois são acusados de participação também no repasse de propina, envolvendo contratos de obras e serviços na construção da usina de Angra 3.

O Ministério Público Federal informou que ofereceu denúncia a mais cinco nomes envolvidos na 14ª fase da Operação Lava-Jato. O ex-diretor da Petrobras Renato Duque, a advogada Cristina Maria da Silva Jorge e os empresários João Antônio Bernardi Filho, Antônio Carlos Bernardi e Julio Gerin Almeida Camargo foram denunciados pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção. O juíz Sérgio Moro vai decidir se aceita essa denúncia.

Fonte: G1