VEJA AS NOVIDADES

8 de julho de 2015

Servidores do INSS no Vale do Paraíba aderem à paralisação nacional.

Servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) decidiram entrar em greve na última terça-feira (7) no Vale do Paraíba, aderindo a um movimento que acontece em todo o país. Pela manhã, unidades de pelo menos sete cidades da região interromperam parcial ou totalmente o atendimento. A categoria reivindica aumento salarial e melhores condições de trabalho.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Estado de São Paulo (Sinspreve), entre os municípios atingidos pela paralisação estão São José dos Campos, Taubaté, Aparecida, Lorena, Campos do Jordão, Caraguatatuba e Bragança Paulista.
A entidade não possui balanço geral dos funcionários que aderiram ao movimento nesta terça-feira na região.

Em São José, a maior cidade do Vale, o atendimento acontece apenas de forma parcial para serviços de perícia e reagendamento. Já em Taubaté, a unidade do INSS permanece fechada nesta terça-feira. Nas duas cidades, mais de mil aposentados e pensionistas devem ser afetados pela greve.

"Aqui na região está impraticável continuar atendendo a população na situação que estamos. Os funcionários estão com uma sobrecarga enorme, que acaba refletindo no atendimento à população", afirmou a diretora da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) Rita de Cássia Pinto.

Os funcionários pedem um reajuste salarial de 27,5 % imediato, com aumento gradual durante os próximos quatro anos. Além do reajuste, os funcionários pedem também melhorias nas condições de trabalho e no atendimento à população.

Nesta terça, a Fenasps, que representa a categoria nacionalmente, fará um reunião no Ministério do Planejamento, responsável pela gestão do órgão, para novas negociações.

Outro lado

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) informou, em nota, que os segurados que não forem atendidos por causa da paralisação terão o agendamento remarcado, mas considerará a data original de agendamento para evitar qualquer tipo de prejuízo financeiro a eles.

Outras informações e orientações podem ser obtidas pela Central de Atendimento no telefone135.
O Ministério da Previdência Social e o INSS declararam ainda mantêm diálogo com a categoria para “uma solução que contemple os interesses de todos”.

Fonte: G1 Paraíba