VEJA AS NOVIDADES

22 de agosto de 2015

Chamados de heróis, americanos contam como renderam atirador em trem francês.

 O presidente francês, François Hollande, agradeceu aos três americanos que estão sendo chamados de heróis por terem conseguido dominar um homem fortemente armado, em um trem na França.

O incidente aconteceu quando o trem, do serviço de alta velocidade Thalys, passava próximo de Arras, no nordeste do país, na sexta-feira.

O grupo também foi elogiado pelo presidente americano, Barack Obama.
“Está claro que as atitudes heróicas deles evitar uma tragédia muito pior”, dizia o comunicado divulgado pela Casa Branca.

Os americanos – dois deles são militares, mas estavam passeando no país - contaram que saíram atrás do homem após o verem correndo armado pelo corredor do trem.

Eles conseguiram tomar um fuzil AK-47 e uma pistola das mãos do homem e lhe deram uma chave-de-braço até que ele ficasse inconsciente.

Um dos americanos foi esfaqueado e outro passageiro foi baleado – ambos estão se recuperando em um hospital local.

 Fuzil e chave-de-braço.


Dois americanos que desarmaram o atirador, Spencer Stone e Alek Skarlatos, são membros da Força Aérea e da Guarda Nacional, respectivamente, mas não estavam a serviço, e sim passesando pela Europa.

Eles pegaram o trem de Amsterdam com destino a Paris, juntamente com o amigo Anthony Sadler.

Os três americanos agiram logo após um passageiro ser atingido pelo atirador – que está sendo interrogado pela polícia francesa.

“Spencer foi quem pegou o cara primeiro e o segurou pelo pescoço”, disse Alek à rede Sky News. “Eu então tomei a pistola dele e joguei pra longe. Em seguida, eu peguei a AK-47, que estava nos pés dele.Todo mundo começou a bater no cara, enquanto Spencer o segurou até que ele ficasse inconsciente.”

Alek disse que em seguida viu que a AK-47 estava travada e não iria disparar.

 Em uma entrevista coletiva, Anthony contou sobre a experiência: “Eu vim para a minha primeira viagem pela Europa com meus amigos e nós paramos um terrorista. Meio louco isso.”

Chris Norman, um inglês que vive na França, também ajudou a controlar o atirador. “Eu cheguei no final e ajudei a mantê-lo sob controle.”

"Ele tirou uma espécie de faca e começou a esfaquear Spencer – ele cortou atrás de seu pescoço e quase cortou o dedo dele fora.”

Chris e os americanos receberam medalhas das autoridades de Arras e devem se encontrar com Hollande nos próximos dias.

Entre os 554 passageiros estava o ator francês Jean-Hugues Anglade, que contou que os funcionários do trem se trancaram em um vagão assim que ouviram os tiros, deixando os passageiros sozinhos.

Suspeito

Investigadores da polícia anti-terrorismo da França agora têm 96 horas para interrogar o suspeito. A promotoria belga também vai investigar o caso.

O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, disse que o suspeito já morou na Espanha e na Bélgica, que aparenta ser marroquino e que há indícios de que ele pertença a um grupo radical islâmico.

Autoridades espanholas passaram informações sobre ele à França em 2014, por conta de suspeitas com envolvimento em atividades terroristas.

A França está em alerta desde os ataques contra a revista Charlie Hebdo e um supermercado judeu em Paris, que ocorreram em janeiro e no qual 17 pessoas foram assassinadas.

Fonte: G1