VEJA AS NOVIDADES

15 de setembro de 2015

Viúva diz que bandidos queriam levar criança em sequestro e morte na PB.

Os bandidos que sequestraram e mataram um comerciante de 39 anos na madrugada desta segunda-feira (14) queriam sequestrar também o filho da vítima, uma criança de 4 anos. Quem revelou isto foi a mãe do menino e viúva do comerciante, que também foi feita refém durante o assalto. Segundo a mulher, os homens os fizeram reféns na noite do domingo (13) e os ameaçavam durante toda a ação, inclusive afirmando que iriam levar a criança.

Um suspeito de participar do crime foi detido e foi encaminhado para a Delegacia de Esperança para prestar depoimento.

“Um deles disse que ia levar o menino. Aí meu marido disse para não levar, que era tudo que ele tinha na vida. Aí chegaram perto de mim, clarearam meu rosto e disseram que iam levar o menino. Eu disse que eles podiam me levar, mas que deixassem a criança e que não fizessem nada com ela. Eu disse que eles podiam levar tudo o que estivesse dentro da casa. Poderiam colocar no carro e levar. Aí foi quando levaram meu marido. Depois eu só soube da notícia”, revelou, aos prantos.

O comerciante foi abordado quando chegava em casa por volta das 22h após um batizado. Ele era dono de uma mercearia na cidade de Matinhas, no Agreste paraibano. Após a ação, o homem foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira (14), na zona rural de Alagoa Nova, também no Agreste da Paraíba. A esposa do comerciante falou como aconteceu a ação.

“Quando meu marido chegou, pediu para eu abrir a porta para ele e disse para eu ficar calma porque era um assalto. Aí amarram ele aqui e deitaram ele no chão. Aí eu olhava para ele e o outro mandava eu abaixar a cabeça. Eles ficavam pedindo dinheiro e eu dizendo que não tinha, que o único dinheiro que meu marido tinha estava no bolso dele, que foi o que ele arrecadou durante o dia. Aí ele pediu a arma para meu marido e meu marido disse que a arma estava no carro e disse para ele ir buscar”, explicou.

 A viúva ainda disse que um dos homens falava a todo tempo que sabia do funcionamento na mercearia e na casa da família.

“O que mexia com meu marido, o que dava as ordens, dizia que sabia de tudo, sabia de todo o movimento. Eles levaram o dinheiro que meu marido tinha no bolso, aproximadamente R$ 2 mil, que foi o que ele apurou durante todo o dia. E devem ter levado algo da mercearia também, quando eles foram para lá”, disse.

A mulher ainda disse que estava dentro da casa quando os bandidos levaram o comerciante. Ela disse que ouviu o barulho de dois tiros e correu para ver se tinha acontecido algo com o marido, mas quando saiu da residência, os bandidos já haviam fugido com o comerciante. O carro foi encontrado por agricultores no meio de um canavial já na cidade de Alagoa Nova. Ele estava no banco traseiro do veículo e, segundo a polícia, nada foi roubado do homem e a chave do carro estava na ignição.

Fonte: G1 Paraíba