VEJA AS NOVIDADES

27 de novembro de 2015

UFPB desenvolve inseticida que combate a larva do Aedes aegypti.

Um inseticida capaz de combater a larva do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, chikungunya e zyka, foi desenvolvido no Centro de Biotecnologia (CBiotec) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Segundo o diretor do CBiotec, Valdir de Andrade Braga, a efetividade do inseticida é de 100% em um período de 12 horas.

O produto é feito a base de suco de sisal, planta bastante cultivada na Paraíba.
“Nós descobrimos no laboratório de parasitologia que quando a gente colocava o suco de sisal na água com as larvas, ele era efetivo para causar a morte dessas larvas”, explicou Braga.

Um estudo seriado comprovou que, em 12 horas, todas as larvas que estavam no quarto estágio do mosquito morreram em contato com o suco. A solução é feita com 4 mililitros de suco para 100 litros de água. Também foram feitos testes de toxicidade em animais de laboratório. “Os testes mostraram que a ingestão do suco ou contato do suco com a pele não causa nenhum tipo de dano, a não ser para a larva do mosquito da dengue”, disse.

O estudo foi feito em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Algodão (Embrapa Algodão), em Campina Grande, que tem contatos com produtores do sisal. O depósito da patente foi feito em 2002 e o grupo ainda espera uma certificação definitiva. “A partir daí a gente vai começar a sistematizar a produção em larga estala dessa formulação baseada no suco de sisal. A gente acredita que dentro de um ou dois anos o produto vai estar no mercado”, informou.

Fonte: G1 Paraíba