VEJA AS NOVIDADES

29 de janeiro de 2016

Comitê Paralímpico Brasileiro lamenta morte do halterofilista Joseano Felipe.

O Comitê Paralímpico Brasileiro lamentou o falecimento do halterofilista Joseano Felipe. Aos 42 anos, ele morreu na madrugada desta quinta-feira (28) em Natal (RN), onde residia, após sofrer uma parada cardíaca. Joseano deixa esposa e filho.

"Ficamos extremamente chocados com a notícia do falecimento do halterofilista Joseano Felipe. Mais do que o grande atleta que foi, é importante ressaltar e relembrar o homem, a pessoa.
Nossos pensamentos estão com a família para que possam suportar este momento de dor", lamentou Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro. 

"Joseano era muito querido e popular no circuito do IPC de halterofilismo. Estava também bem próximo de conseguir vaga nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Sua falta será sentida por todos do Movimento Paralímpico, em especial aqueles da comunidade do halterofilismo", disse Phil Craven, presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC). 

Joseano foi policial militar até os 27 anos. Após ser baleado em uma troca de tiros, em 2000, perdeu o movimento das pernas. Praticou natação para reabilitar-se, em um primeiro instante. Em 2005, conheceu o halterofilismo paralímpico, modalidade na qual seguiria carreira. 

Treinado pelo filho, Phelippe Michel, Joseano conquistou a medalha de ouro da categoria até 107kg nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto, no Canadá, em 2015. Há uma semana, havia vencido a etapa do Rio de Janeiro da Copa do Mundo de Halterofilismo. Ao erguer 206kg, ele não só garantiu o título, mas havia se posicionado na sétima colocação do ranking mundial, o que lhe colocaria nos Jogos Paralímpicos deste ano. 

O laudo da autópsia ainda não foi divulgado. O corpo de Joseano será velado no Centro de Velório Sempre (Rua dos Pajeús 1502 - bairro Alecrim - Natal).

Fonte: Portal Correio