VEJA AS NOVIDADES

15 de janeiro de 2016

Grupo pede justiça pela morte de funcionária de call center; pai acredita em execução.

Dezenas de pessoas ocuparam, na noite da última quinta-feira (14), as imediações de um call center localizado no bairro de Mangabeira, em João Pessoa, para pedir justiça no caso do assassinato da jovem Suênia Souza. Ela foi morta a tiros no dia 7 deste mês, minutos após deixar o trabalho.

Na quarta-feira (13), o delegado responsável pelo caso, Luiz Cotrim, disse que o crime estava sendo apurado, mas não podia revelar detalhes para não prejudicar o andamento das investigações.

O pai da vítima, Sueliton Batista, disse que confia na justiça e no trabalho realizado pela equipe de investigação da Polícia Civil. Ele revelou ainda que não acredita que a filha tenha sido atingida por uma bala perdida, nem que tenha sido vítima de uma tentativa de assalto. Para ele, o crime foi premeditado.

"Eu acredito em execução. Posso estar enganado, mas é essa a minha intuição de pai. Tenho fé que esse crime está perto de ser desvendado. Acredito na justiça divina e no trabalho das autoridades competentes. Acredito muito no trabalho do delegado Luiz Cotrim”, disse.

Além de familiares e amigos de Suênia Souza, participaram do protesto dessa quinta pessoas ligadas aos movimentos Mães na Dor e Fui Assaltado em João Pessoa, além de representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicação. 


Fonte: Portal Correio