VEJA AS NOVIDADES

1 de março de 2016

Morre em hospital quarta vítima de acidente entre ônibus e trem na PB.

Morreu na madrugada desta terça-feira (1º) a quarta vítima do acidente envolvendo um ônibus e um trem na passagem de nível de Várzea Nova, distrito de Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa, no final da tarde segunda-feira (29).
Conforme boletim médico divulgado no início da manhã desta terça pelo Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, onde a vítima estava internada, uma mulher de 35 anos morreu por volta de 1h.

Ainda de acordo com o boletim médico desta terça-feira (1º), outras oito pessoas seguem internadas no Hospital de Trauma de João Pessoa, sendo duas pessoas em estado de saúde considerado grave e outras seis em estado regular. Entre os internados em estado grave estão uma adolescente de 14 anos e um homem de 53 anos.

O acidente foi confirmado pela assessoria de imprensa da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que explicou em informações iniciais, que o ônibus estaria parado na linha férrea e que o trem teria buzinado várias vezes para alertar que estava se aproximando, mas ainda assim não evitou a colisão.

Em nota, o órgão lamentou o acidente e informou que vai abrir sindicância para apurar os fatos. A nota também informa que relatos de testemunhas indicam que o acidente aconteceu por volta das 15h30 no sentido João Pessoa/Santa Rita. Por conta do acidente, a prefeitura de Santa Rita decretou cinco dias de luto oficial na cidade.

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informou no fim da tarde desta segunda-feira (29) que vai abrir uma sindicância para investigar as causas do grave acidente envolvendo um trem e um ônibus coletivo em uma passagem de nível de Várzea Nova, distrito de Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa. O acidente deixou em um primeiro momento três mortos e diversos feridos. Com o impacto da batida, três mulheres que estavam dentro do ônibus foram jogadas para fora do veículo e morreram imediatamente. Nenhum passageiro do trem se feriu.

O governador Ricardo Coutinho, a Secretária estadual de Saúde, Roberta Abath, e o prefeito de Santa Rita, Netinho, foram até a unidade de saúde para acompanhar o atendimento às vítimas. Um rapaz que estava no coletivo foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento de Urgência (UPA) do bairro de Tibiri em Santa Rita.

O gerente operacional da empresa Santa Rita, proprietária do ônibus que se envolveu no acidente, Luiz Carlos André, lamentou o acidente e disse que a empresa vai colaborar com as investigações da polícia para esclarecer o caso.

"Em primeiro lugar eu quero lamentar a tragédia e dizer que estamos solidários. Infelizmente houve vítimas. A questão do acidente, seria irresponsável dizer o que causou, o momento é de averiguar, dar subsídio à polícia para descobrir o que causou o acidente", disse Luiz Carlos André.

O funcionário da empresa informou ainda que o motorista do veículo teve apenas ferimentos leves e que deverá prestar depoimento à polícia nesta terça-feira. Ainda de acordo com o representante da empresa, o motorista teve medo de sofrer algum tipo de agressão da população e, por isso, teria deixado o local do acidente. 

Investigações

Até as 19h30 de segunda-feira (29) o trânsito na passagem de nível e a ferrovia ainda estavam bloqueadas pela perícia, que trabalhava no local da colisão para levantar informações sobre o que teria causado o acidente. Inicialmente duas hipóteses foram levantadas, uma seria de que o veículo teria apresentado uma falha mecânica e a outra é de que o motorista estava parado na ferrovia porque um veículo estaria na frente do coletivo, bloqueando a passagem.

Segundo o delegado Antonio Farias, testemunhas relataram que o ônibus estava há muito tempo parado sobre a ferrovia, e que não houve reação do motorista do ônibus ao alerta sonoro dado diversas vezes pelo condutor do trem.

Não há informações se o bloqueio da ferrovia continua até pela manhã ou se vai atrasar o transporte de passageiros que utilizam os trens urbanos na Região Metropolitana de João Pessoa.
Hemocentro pede doações

A diretoria do Hemocentro da Paraíba fez um apelo para que as pessoas doem sangue para o feridos do acidente. Segundo o Hemocentro, o estoque de sangue da unidade está baixo e como os feridos estão em estado grave, há a necessidade de ter bolsas de sangue e hemoderivados à disposição dos feridos.

Fonte: G1 Paraíba