VEJA AS NOVIDADES

11 de maio de 2016

Com voto de três senadores da PB, Senado inicia nesta quarta sessão para votar processo de impeachment.

Com o voto dos senadores paraibanos Cássio Cunha Lima (PSDB), Raimundo Lira (PMDB) e José Maranhão (PMDB),  o Senado inicia nesta quarta-feira (11), a  sessão para votar processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Os três senadores paraibanos devem votar a favor do afastamento da presidente. Cássio Cunha Lima é o líder do PSDB no Senado, e foi um dos ferrenhos defensores do impeachement.
Raimundo Lira presidiu com imparcialidade e isenção, a Comissãio Especial que votou pelo prosseguimento do processo, enquanto que José Maranhão, já deu declarações de que também iria seguir o partido e votar a favor do impeachment.

O plenário do Senado inicia às 9h desta quarta-feira (11) a sessão que decidirá pela aprovação ou rejeição do relatório favorável à admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Para que o processo seja instaurado, dando início à fase de produção de provas e, posteriormente, ao julgamento da presidente, é preciso que estejam presentes à sessão pelo menos 41 dos 81 senadores (maioria absoluta).

A aprovação do relatório da Comissão Especial do Impeachment, de autoria do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), exige maioria simples dos senadores presentes – metade mais um. Por exemplo: se estiveram presentes 60 senadores, são necessários pelo menos 31 votos. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), só vota em caso de empate.

Renan Calheiros afirmou que os microfones serão desligados assim que se esgotar o tempo de 15 minutos que cada senador inscrito terá para se pronunciar. Ele disse que alertará ao senador que estiver ocupando a tribuna quando faltarem dois minutos e depois um minuto para o término do pronunciamento. Renan informou que senadores pró-impeachment e defensores do governo devem se alternar na tribuna do Senado para fazer suas exposições, de acordo com a ordem de inscrição.

Ele dividiu a sessão em três blocos, com intervalos de uma hora entre cada um. De manhã, das 9h às 12h; à tarde, das 13h às 18h; e à noite, de 19h em diante. Não serão permitidos apartes durante a sessão. Também não está previsto tempo para orientação de voto das bancadas pelos líderes partidários.


Fonte: PB Agora