VEJA AS NOVIDADES

24 de outubro de 2016

Presidente Michel Temer quer saber porque diversas cidade do Vale do Paraíba não terminou as obras conveniadas com o Governo Federal.

Salgado de São Félix
O prefeito de Salgado de São Félix, Adaurio Almeida, foi o gestor que mais obras iniciou no seu município, na região de Itabaiana, que compreende ainda Pilar, Juripiranga, Mogeiro e São José dos Ramos. 

No município vizinho, Itabaiana, que é cidade polo, não se registra nenhuma obra em andamento, porque o prefeito Antonio Carlos conseguiu a façanha de não executar obras em sua gestão.

Em Salgado, o que se verifica é que as obras, a maioria, não foram entregues no tempo estabelecido pelos convênios realizados com os governos do Estado e Federal. 


De acordo com documentos oficiais, estão inacabadas a construção do Portal da Cidade, que deveria terminar em 2014, Academia de Saúde, com prazo em 2015, Praça do Centro, cujo calendário de execução determina término em dezembro de 2015, Academia de Saúde de Dois Riachos, Quadra de Dois Riachos, Quadra da Fazenda Campos, Colégio e quadra Mariano Tomás, UBS de Maria de Melo e Creche Escola do Centro são obras conveniadas com o Governo Federal e que estão inacabadas, muito além dos prazos contratuais.

O presidente em exercício, Michel Temer, encomendou nas últimas semanas que seus ministros façam um levantamento das obras conveniadas com recursos federais que estão paralisadas, informou a assessoria do Palácio do Planalto. O assunto foi um dos temas discutidos nesta terça, no Palácio do Planalto, em reunião de Temer com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e os senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Eduardo Braga (PMDB-AM).

Segundo assessores da Presidência, o governo estima que haja “milhares” de obras inacabadas pelo país.  Após se reunir com o presidente em exercício, Renan Calheiros disse que o país se tornou um “cemitério de obras inacabadas”. Conforme ele, essas obras paralisadas representam R$ 250 bilhões em restos a pagar. O peemedebista relatou que, além de pedir o balanço de empreendimentos paralisados, Temer pedirá que os governadores apontem obras que eles consideram prioritárias nos estados financiadas com recursos federais.

“O andamento das obras retoma a criação de empregos e renda, e demonstra o seu compromisso [de Temer] para uma solução definitiva para as obras inacabadas e para os restos a pagar”, disse Renan ao chegar ao Senado depois da audiência no Palácio do Planalto.

Fonte; TRIBUNA DO VALE ONLINE