7 de março de 2017

ITABAIANA: Crianças têm mortes súbitas e Saúde aponta suspeitas de envenenamento.

A Secretaria da Saúde de Itabaiana, investiga a morte súbita de duas crianças, ocorridas nos dias 18 e 25 de fevereiro. Elas faleceram horas após darem entrada no Hospital Regional da cidade. As crianças eram primas e moravam na comunidade Cariatá, que fica na Zona Rural, entre Itabaiana e Mogeiro. Nessa segunda-feira (6), uma garota de 11 anos da mesma comunidade passou mal e foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.
Ela está internada na Unidade de Terapia Intensiva, em estado gravíssimo.  

De acordo com a secretária da Saúde em Itabaiana, Soraia Galdino, a situação tem preocupado e deixado órgãos públicos em alerta. Ela disse que aguarda laudo da causa da morte das duas crianças, mas adiantou que existe a suspeita de envenenamento.

“Parece envenenamento, pois são mortes muito súbitas. Familiares das duas crianças que morreram contaram que elas estavam bem e, de repente, passaram mal. Tiveram vômitos, calafrios e dores de cabeça e, pouco tempo depois, já desfaleceram. A primeira vítima, uma menina de seis anos, chegou a relatar que estava sem enxergar. Isso aconteceu no sábado, dia 18. Uma semana depois, no dia 25, o primo dela, de nove anos, também faleceu”, explicou Soraia Galdino.

Nessa segunda-feira, uma menina de 11 anos também passou mal. Ela foi levada para o Hospital Regional de Itabaiana e, em seguida, transferida para o Trauma de Campina Grande. A criança deu entrada às 22h e, até a publicação desta matéria, seguia internada na UTI em estado gravíssimo. Segundo a médica Noadja Andrade, que acompanha a paciente, a menina teve duas paradas cardíacas só na manhã desta terça-feira (7).

“A mãe conta que a criança apresentou quadro convulsivo e sonolência logo após comer um biscoito e se queixar de gosto ruim. Ela deu entrada ontem à noite no hospital e o quadro evolui de forma muito grave”, informou a médica.

Investigação

Segundo Soraia Galdino, foram colhidas amostras da água encanada e também do trecho do Rio Paraíba próximo à comunidade. O procedimento foi realizado nessa segunda-feira (6), em ação conjunta das vigilâncias Epidemiológica, Ambiental e Sanitária.

“A análise será em João Pessoa e o prazo para resultado normalmente é de 20 dias, mas estamos tentando apressar esse laudo. Estou na Capital justamente para pedir o apoio da Secretaria de Estado da Saúde nesse caso”, informou.

Ainda de acordo com a secretária, a situação tem preocupado tanto os órgãos públicos, quanto a população. “É uma situação muito triste e está todo mundo bem abalado. Mas o que podemos garantir é que estamos investigando as causas desses sintomas e acompanhando tudo para que cheguemos numa resolução da situação”, finalizou.

Fonte: Portal Correio