VEJA AS NOVIDADES

16 de agosto de 2017

SUPERAÇÃO: Ex-executivo de SC que vive em aeroporto do RJ consegue emprego: 'obrigado a todos'.

O Catarinense Vilmar Mendonça, de 58 anos, terá seu primeiro dia de retorno ao trabalho nesta quarta-feira (16), já que desde 2015 estava desempregado e vivendo no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. 

A história de Vilmar ficou conhecida depois que uma agência de notícias internacional publicou uma foto em que ele aparece de roupa social, dormindo em uma rua.

"Eu estou indo agora iniciar o meu primeiro dia de trabalho.
O retorno. Muito obrigado a todos que me ajudaram!", disse o catarinense, que na manhã desta quarta pegava um trem para o novo emprego.

Vilmar não esclareceu qual trabalho conseguiu, mas disse que será dedicado. "Tenho que focar meus pensamentos no meu serviço e procurar desenvolver aquilo que sempre fiz no trabalho: ser o melhor. Deus me deu uma grande prova de vida e sei que ele está contente por ter superado com dignidade", reforça.

Propostas

Desde que a foto circulou nas redes sociais, ele recebeu milhares de propostas. Em uma semana, ele conta que foram mais de 800 mensagens, inclusive de outros países.

Na última sexta-feira (11), ele contou que entre as oportunidades estavam de segurança, de um hostel da região do aeroporto, onde poderia morar, de um restaurante que precisa de um administrador, e que também oferece moradia.

"Sou um profissional na área de recursos humanos", disse, lembrando que, em seu último trabalho, administrava dois prédios comerciais na Avenida Paulista.

Antes de morar no aeroporto, o catarinense natural de Itajaí diz que chegou a ocupar cargos de gerência em multinacionais, mas com o desemprego, passou os dias no aeroporto Santos Dumont, conectado com seu notebook em busca de oportunidades.

Família

Na última semana, ele disse que não havia contado a amigos e familiares de Itajaí a situação enfrentada no Rio e que pretendia conseguir trabalho sem ajuda de ninguém.

A mãe de Vilmar, que vive em Itajaí, contou à reportagem que manda dinheiro todo mês para o filho se sustentar no Rio, enquanto procurava emprego. Ele é o quinto dos oito filhos dela.

Fonte: Globo