VEJA AS NOVIDADES

19 de novembro de 2017

MISTÉRIO: Córrego próximo a fazenda secou antes de surgimento de dolina em Coromandel.

Um córrego que passava pela Fazenda Santa Cruz, no distrito de Alegre, em Coromandel, secou poucos dias antes do surgimento de uma gigantesca dolina na propriedade.

A informação foi passada pelo proprietário da fazenda, Diogo Tudela, ao professor Gilberto Correa, do Instituto de Ciências Agrárias da UFU, especialista que foi contratado para avaliar o fenômeno.


De acordo com relato do professor ao site do jornal Estado de Minas, o córrego que passava pela propriedade secou em meados de agosto e pode ter influenciado o surgimento da dolina ou até mesmo ser uma consequência das atividades químicas que ocorriam abaixo do solo. “O fato dele secar é um evento que está seguramente relacionado a essas galerias subterrâneas que tem no calcário que ocorre em profundidade lá naquele área”.

Um córrego que passava pela Fazenda Santa Cruz, no distrito de Alegre, em Coromandel, secou poucos dias antes do surgimento de uma gigantesca dolina na propriedade.

A informação foi passada pelo proprietário da fazenda, Diogo Tudela, ao professor Gilberto Correa, do Instituto de Ciências Agrárias da UFU, especialista que foi contratado para avaliar o fenômeno.

De acordo com relato do professor ao site do jornal Estado de Minas, o córrego que passava pela propriedade secou em meados de agosto e pode ter influenciado o surgimento da dolina ou até mesmo ser uma consequência das atividades químicas que ocorriam abaixo do solo. “O fato dele secar é um evento que está seguramente relacionado a essas galerias subterrâneas que tem no calcário que ocorre em profundidade lá naquele área”.

Ao diário online, Correa explicou que as dolinas são criadas devido à dissolução do calcário, que abre uma espécie de gruta no subterrâneo. Com o passar do tempo, o teto cede e ‘engole’ o que está acima.

A pedido dos especialistas, a dolina foi isolada e deve passar por novos estudos. O local teve acesso restringido devido ao risco de novos deslizamentos da terra.

O Jornal de Coromandel tentou contato com o proprietário, mas as ligações não foram atendidas.



Fonte: Jornal de Coromandel